DESERTA (2014)

Vestindo uma abaya de 10 metros, caminho no deserto entre a Arábia Saudita e o Qatar. Estou no Golfo Pérsico em ode à resistência das mulheres árabes. Uma performance para elas, que empoderadas não se calam, frente às ações que tentam operar sua invisibilidade.

Na série de fotoperformance, a abaya voa leve e esboça grafias de um corpo em movimento. Na videoperformance, outras cores se somam , em alusão aos experimentos de Louis Fuller, uma referência para o cinema e dança.

Passei uma temporada vivendo em Doha - Qatar, durante o Ano do Brasil no referido país (2014). Dei aulas de danças brasileiras no Qatar Islamic Museum e fiz muitas direções coreográficas em apresentações para o referido ano, promovidas pelo Ministério da Cultura e Turismo do país. Neste percurso, conheci muitas mulheres incríveis, Qataris que rompiam com a concepção da mulher reprimida que impera o imaginário ocidental. Então, refiz minhas concepções e preconceitos sobre ser uma mulher muçulmana. Assim, realizei a obra em homenagem a essas mulheres, sobretudo, para Farha Althani, uma sheika que fazia aulas particulares de danças brasileiras. Ela que me emprestou a sua Abaya para fazer a performance. Uma homenagem a essas grandes mulheres Qataris.

Materiais: Abaya e tecido.

*Realizado no SeaLine, parte de deserto e mar que fica no Golfo Pérsico, na fronteira entre Arábia Saudita e o Qatar. A performance foi realizado do lado do Qatar (2014).